quarta-feira, 27 de julho de 2011

NINGUÉM = NINGUÉM



Há tantos quadros na parede
há tantas formas de se ver o mesmo quadro
há tanta gente pelas ruas
há tantas ruas e nenhuma é igual a outra
(ninguém = ninguém)
me espanta que tanta gente sinta
(se é que sente) a mesma indiferença

há tantos quadros na parede
há tantas formas de se ver o mesmo quadro
há palavras que nunca são ditas
há muitas vozes repetindo a mesma frase
(ninguém = ninguém)
me espanta que tanta gente minta
(descaradamente) a mesma mentira

todos iguais, todos iguais
mas uns mais iguais que os outros.

Humberto Gessinger

9 comentários:

Richard Abreu disse...

Puxa... gosto bastante dessa música!

Serrano disse...

Continuo a espreitar este blogue.

llesan disse...

Humberto é demais!


Gostei do blog, to seguindo já. Abraços

Gabi disse...

Há tantas formas de ver o mundo, Camila...

Gabi disse...

Há tantas formas de ver o mundo, nenhuma igual a outra...

Aaliyahrj disse...

Lindo blog, Camila! Adoro Clarice, adoro poesia! Já estou te seguindo. Bjs

http://aaliyahrj-palavrasaovento.blogspot.com

Rafael Biagioni disse...

oi

João Lucas Arcanjo disse...

Muito interessante o blog.
Estou seguindo.
Parabéns.

Marcos Araujo disse...

Grandes publicações. Parabéns pelo Blog. Visite o meu quando der

http://geopiniao.blogspot.com/