sábado, 7 de novembro de 2009

FRAGMENTO 47

"No desalinho triste das minhas emoções confusas...
Uma tristeza de crepúsculo, feita de cansaços e de renúncias falsas, um tédio de sentir qualquer coisa, uma dor como de um soluço parado ou de uma verdade obtida. Desenrola-se-me na alma desatenta esta paisagem de abdicações - áleas de gestos abandonados, canteiros altos de sonhos nem sequer bem sonhados, inconsequências, com muros de buxo dividindo caminhos vazios, suposições, como velhos tanques sem repuxo vivo, tudo se emaranha e se visualiza pobre no desalinho triste das minhas emoções confusas.
Bernardo Soares

Um comentário:

Sônia Silvino disse...

Olá! Acabei de conhecer o teu blog. É muito lindinho e delicado. Parabéns! Quando tiveres um tempinho, conheça o meu blog:
Resgatando Emoções
http://soniasilvinoresgatandoemoções.blogspot.com
Lá tu verás os endereços de outros blogs que administro.
Abraços!!!
Sônia